segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Denuncia!!! Fiquem espertos.


Essa madrugada por volta das 02 h um conhecido estava passando pela Av. 23 de maio e foi parado na Blitz da Lei seca. O tenente da PM pediu que ele fizesse o teste do bafômetro e ele como cidadão de bem o fez. Deu acima permitido por lei. Aí começou o problema. Ele questionou se o aparelho de bafômetro tinha o selo do INMETRO e recebeu uma resposta negativa. Ai ele exigiu que sua esposa que estava em sua companhia fizesse o teste também. O tenente concordou e novamente deu acima do permitido! O colega não satisfeito com o aparelho, disse que tava adulterado porque não tinha o selo de qualidade do INMETRO. Ele acordou seu filho de seis anos que estava dormindo no veículo e exigiu do Tenente que seu filho também fizesse o teste e assim foi feito. Novamente deu o acima do permitido. Ai ele questionou a eficiência do aparelho e o Tenente na dúvida para não ter problemas futuros, liberou o meu colega. Chegando em casa, ele falou pra mulher: depois vc reclama porque dou cachaça ao nosso filho, se ele não bebesse a gente tava fudido.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

"Capital de Giro"

Um viajante chega numa cidade e entra num pequeno hotel. Na recepção, entrega duas notas de R$ 100,00 e pede para ver um quarto. Enquanto o viajante inspeciona os quartos, o gerente do hotel sai correndo com as duas notas de R$ 100,00 e vai até o açougue pagar sua dívida com o açougueiro. Este pega as duas notas e vai ao criador de suínos a quem, coincidentemente, também deve R$ 200,00 e quita a dívida. O criador, por sua vez, pega também as duas notas e corre ao veterinário para liquidar uma dívida de R$ 200,00. O veterinário, com as duas notas em mãos, vai até o bordel quitar a dívida com a prostituta. Coincidentemente, a dívida era de R$ 200,00. A prostituta sai com o dinheiro em direção ao hotel, lugar onde, as vezes, levava seus clientes e que ultimamente não havia pago pelas acomodações. Valor total da dívida: R$ 200,00. Ela avisa ao gerente que está pagando a conta e coloca as notas em cima do balcão. Nesse momento, o viajante retorna dos quartos, diz não ser o que esperava, pega as duas notas de volta, agradece e sai do hotel. Ninguém ganhou ou gastou nenhum centavo, porém agora toda a cidade vive sem dívidas, o crédito restaurado e começa a ver o futuro com confiança!